O Festival de Cultura Digital começa no dia 2 de julho, na Biblioteca Parque Rocinha C4, na zona sul do Rio. Irá promover atividades de integração tecnológica, que incluem os games (GameDev), a arte digital e a música tech, além de workshops de Realidade Aumentada, palestras e oficinas gratuitas sobre o universo de programação. Serão disponibilizadas mais de 40 horas de oficinas práticas de criatividade digital, um curso de introdução tecnológica e uma exposição de arte e cultura digital. Além disso, os participantes também terão acesso a materiais e temáticas de empreendedorismo à educação financeira. A inauguração oficial aconteceu no dia 25 de junho.

Os workshops começam no dia 2 de julho (terça-feira) e vão até o dia 12 de setembro (quinta-feira). O curso de Introdução Tecnológica está previsto para começar no dia 25 de junho (terça-feira) e terminar no dia 8 de outubro (terça-feira). As aulas serão realizadas às terças e quintas-feiras, de 15h00 às 17h30 e de 18h30 às 20h00. A exposição de Arte e Cultura Digital será aberta ao público e acontecerá de 16 de agosto a 10 de outubro, de segunda a sexta-feira, de 10h00 às 20h00. A cerimônia de encerramento do projeto “Casa Digital” está marcada para o dia 10 de outubro, a partir das 16h00, na Biblioteca Parque Rocinha C4, com a entrega dos certificados aos alunos.

A Biblioteca Parque da Rocinha C4, que é um espaço da Secretaria Estadual de Cultura, é considerada hoje um relevante polo de empreendedorismo dentro da comunidade devido às inúmeras ações promovidas e idealizadas pela agência Trinity.

O Festival de Cultura Digital está inserido no projeto sociocultural inédito e gratuito de integração social, cultural, digital, profissional e tecnológica “Casa Digital”. Idealizada pela agência de comunicação Trinity e executadaem parceria com o Instituto Consuelo, a iniciativa tem um forte compromisso com a inclusão, formação, transformação e a capacitação de jovens em situação de vulnerabilidade social. A “Casa Digital” engloba duas frentes: o Festival de Cultura Digital, na Biblioteca Parque da Rocinha C4, e o Programa de Capacitação, que consiste em promover cursos com foco no desenvolvimento prático e técnico para ensinar aos alunos habilidades necessárias para navegar e prosperar na era digital.

Os objetivos do projeto são criar, fomentar, promover e propagar a cultura digital em suas diversas vertentes, apoiar os profissionais da área, ampliar o acesso da população a ela e iniciar os jovens interessados em aprender de forma prática. A “Casa Digital” também tem a finalidade de encurtar a distância existente entre os jovens de comunidade e o universo da tecnologia, os preparando para o mercado de trabalho.

Dentro do Programa de Capacitação, na Tijuca, estão sendo oferecidos dois cursos: Formação em Engenharia de Dados e Capacitação em TI. As oficinas começaram no dia 7 de maio com o curso Capacitação em Tecnologia da Informação. No dia 11 de maio, aconteceu a 1a aula presencial do curso Formação em Engenharia de Dados. A curadoria dos conteúdos e a administração das master classes estão por conta do especialista em finanças e embaixador do projeto, Gilvan Bueno. Os participantes selecionados estão cursando ou concluíram recentemente o ensino médio e têm mais de 16 anos. Ao todo são 30 alunos por turma. As aulas estão acontecendo nos modelos on-line (terças e quintas, de 15h às 17h e de 19h às 22h) e presencial (aos sábados, de 10h às 12h e de 14h às 16h, no polo Tijuca, na Rua Campos Sales, número 55, no bairro da Tijuca, próximo à estação de metrô Afonso Pena, na zona norte do Rio). Os alunos recebem uma bolsa auxílio e lanches no local das aulas presenciais. As pessoas interessadas em obter mais informações sobre a Casa Digital podem acessar o site: casadigital.cc.

A “Casa Digital” também visa estabelecer um centro tecnológico que atue como um catalisador para a inclusão digital e a inovação. Por meio de atividades interativas e educativas, os alunos serão introduzidos ao mundo digital de uma maneira que estimule o pensamento crítico, a criatividade e a resolução de problemas. Os idealizadores e organizadores do projeto têm o intuito de transformar a “Casa Digital” em um espaço onde a tecnologia servirá como ponte para o futuro, preparando os jovens para as demandas de um mundo cada vez mais conectado.

A iniciativa é organizada pela Trinity, agência especializada em marketing de causa, em parceria com o Instituto Consuelo, e conta com o apoio da Biblioteca Parque da Rocinha C4. Fernando Oliveira, diretor-geral da Trinity e idealizador da “Casa Digital”, destaca: “Nosso foco é a entrega social.” O ciclo é concluído com a contratação dos beneficiários do projeto nos quadros das empresas incentivadoras, gerando transformação social e inclusão.

O projeto “Casa Digital” é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pelas empresas Elogroup, Zoop, CMCorp, Zoox, QV Benefícios, Vtex, Triscal, Crescera Capital, Monex Energia, Grupo GR e Faros, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS.