*Por Rafael Kenji Hamada, CEO da FHE Ventures

Asstartupssão agentes de inovação capazes de transformar soluções com seus produtos e serviços. No entanto, o momento certo para expandir o leque de produtos requer avaliação do mercado, dos indicadores internos e dofeedbackdo cliente. Ao seguir uma abordagem estratégica e criteriosa, as empresas inovadoras podem maximizar as chances de sucesso ao diversificar suas ofertas.

Rafael-Kenji-Hamada

Veja abaixo quais são os principais pontos necessários para empreendedores que desejam diversificar sua linha de produtos.

  1. Demanda de mercado

O foco de qualquer negócio realmente comprometido com o usuário deve ser resolver as dores do seu cliente. Asstartups, como empresas inovadoras com capacidade de testar e validar rapidamente seus produtos, precisam entender as dores do seu público para, depois, criar uma solução. A metodologia PDCA (Plan-Do-Check-Act) é uma ferramenta valiosa de aprimoramento com base nofeedbackdo usuário. Pesquisas de mercado e análises comparativas com concorrentes são fundamentais para validar a demanda e a inovação daquilo que oferecem. O ideal é que astartuplance a versão final de seu produto apenas após pesquisas de mercado e testes com clientes.

  1. Identificação da procura

Asstartupsdevem aumentar sua gama de produtos apenas quando o serviço principal apresentar uma escala de vendas suficiente para direcionar o seu foco. Indicadores como volume e valor das vendas, NPS (Net Promoter Score) pós-compra para produtos, e conversão,Churn Ratee LTV (Lifetime Value) para serviços, ofereceminsightscruciais sobre a aceitação do mercado. Métricas como ARR (Annual Recurring Revenue), MRR (Monthly Recurring Revenue), MAU (Monthly Active Users) e CAC (Customer Acquisition Cost) também podem ser usadas para avaliar o desempenho da empresa.

  1. Feedback do cliente

A opinião do usuário é a informação mais valiosa que uma empresa pode ter, por ser uma fonte deinsightsque pode ser usada para orientar a tomada de decisões e direcionar os ajustes necessários nos produtos ou serviços oferecidos. Ferramentas como a Matriz SWOT e oBusiness Model Canvasauxiliam na análise estratégica com base nofeedbackdo cliente.

  1. Análise do cenário competitivo

Até certo nível de competição, a existência de concorrentes é muito válida, tanto para analisar o comportamento de consumo do cliente, como para validar o produto da empresa. Diante disso, examinar o cenário competitivo é indispensável para entender as lacunas no mercado e identificar oportunidades de diferenciação. A concorrência fornece valiosos pontos de referência para aprimorar os produtos existentes e desenvolver estratégias de posicionamento eficazes.

  1. Expansão

O aumento da gama de produtos deve ser cuidadosamente cronometrado, considerando o domínio do mercado, o estágio de amadurecimento da empresa e as tendências do setor. Ou seja, a expansão do portfólio deve acontecer apenas quando o mercado já estiver dominado. Sem isso, a ampliação da oferta pode desviar o foco da empresa e atrapalhar seu crescimento. É essencial garantir que a expansão seja uma resposta direta à demanda do mercado, e não uma iniciativa precipitada.

*Rafael Kenji Hamada é CEO da FHE Ventures, uma venture builder focada em desenvolver startups voltadas a tecnologias de saúde e educação. E-mail –fheventures@nbpress.com.br

Sobre a FHE Ventures

A FHE Ventures é umaventure builderque investe emstartupsde saúde e educação. Para mais informações, acesse:https://fheventures.com.br/ou @fheventures.