Condição que afeta muitas pessoas, após passaram por situações que geram aumento da pressão intra abdominal, a chamada diástase abdominal afeta principalmente mulheres que passaram por gravidez. Em geral, a causa dessa condição é a pressão excessiva de dentro para fora na região do abdômen, forçando a musculatura e a linha média que cede.

“Essa situação ocorre quando os músculos retos abdominais, que percorrem a parte frontal do abdômen se separam. Isso acontece devido ao enfraquecimento da linha alba, que é o tecido conjuntivo que une esses músculos”, explica a cirurgiã plástica Ana Carolina Chociai, responsável técnica da Clínica Chociai, em Curitiba. Segundo ela, apesar de estar associada à gestação, a diástase abdominal não ocorre exclusivamente em mulheres. “Homens também podem apresentar essa alteração, que tem como principais causas, além da gravidez, peso excessivo, exercícios físicos inadequados, predisposição genética e obesidade.

De forma direta, a diástase é definida pelo afastamento dos músculos abdominais, fazendo com que a parede abdominal fique “aberta”. Ana Carolina enumera os sintomas comuns: protuberância ou abaulamento no abdômen, especialmente ao contrair os músculos; dor nas costas, fraqueza no tronco e problemas posturais. “Tratamentos tradicionais para diástase abdominal incluem fisioterapia e exercícios específicos para fortalecer o core. Em casos mais graves, a cirurgia pode ser recomendada para corrigir a separação muscular”.

No entanto, pacientes que precisam de tratamento e não desejam ser submetidos a uma abdominoplastia, têm a tecnologia a seu favor. A médica aponta o uso do Fotona StarFormer “uma solução inovadora com tecnologia de ponta que está revolucionando o tratamento da diástase abdominal”, diz Ana Carolina. “Este dispositivo utiliza campos eletromagnéticos para estimular contrações musculares intensas, ajudando a fortalecer e tonificar os músculos abdominais, de forma rápida e eficaz, com o selo de excelência do melhor laser do mundo”.

O tratamento com tecnologia eletromagnética é não invasivo e indolor. Durante a sessão, o paciente fica confortavelmente deitado, enquanto o dispositivo é posicionado sobre o abdômen. Os campos eletromagnéticos geram contrações musculares profundas que são impossíveis de serem atingidas através de exercícios convencionais. As sessões duram em média 30 minutos, sem cortes ou anestesia.

A médica afirma que a recuperação do paciente é imediata, possibilitando ao paciente retomar suas atividades imediatamente. Além de reduzir a diástase, a tecnologia ajuda a tonificar a pele, aumenta o gasto calórico (queima até 800calorias por sessão), auxilia no processo de emagrecimento e a melhorar a postura.

Foto: Divulgação