A Trackfy Tecnologia, startup que digitaliza e otimiza a gestão de atividades em operações industriais e canteiros de obras, utilizando internet das coisas, data analytics e algoritmos inteligentes, é uma das seis selecionadas para integrar o programa de aceleração Oxygea Labs. O processo, já iniciado, se estende até dezembro. Com a participação, a Trackfy se prepara para receber um aporte de R$ 2 milhões.

O programa é promovido pela Oxygea, focada em investir em startups dedicadas à transformação digital da indústria e à sustentabilidade. O programa Oxygea Labs, especificamente, volta-se a startups “que já estão com uma primeira versão do produto rodando e querem acelerar seu Product Market Fit [estratégia de análise dos resultados do produto], com o objetivo de prepará-las para uma trilha de investimentos”, diz a empresa.

Túlio Cerviño

A seleção para o Oxygea Labs coincide com o momento de expansão da Trackfy. A solução tecnológica da startup vem despertando interesse em eventos que reúnem players da indústria pesada, como petróleo e gás, siderurgia, e especialistas em transformação digital.

Em maio, o produto da Trackfy foi destaque na Arena Inovação da Bahia Oil&Gas Energy, em Salvador. Em junho, a startup expôs sua solução no IoT Solutions Congress, ocorrido em São Paulo. No mesmo mês, houve apresentação na 34ª Expo Usipa – Exposição Industrial, Comercial e Prestação de Serviços, em Ipatinga (MG).

“A nossa solução reduz em até 30% o tempo de evacuação de plantas industriais e canteiros de obras, em caso de ocorrência de sinistros, o que significa aumento da segurança. Além disso, aponta gargalos nessas unidades, o que proporciona medidas efetivas para aumento da produtividade”, explica o CEO da Trackfy, Túlio Cerviño.

O produto tecnológico da Trackfy consiste em emissores de sinal, instalados em capacetes e crachás dos funcionários de uma planta industrial ou canteiro de obras. A todo instante, a solução emite dados e informações para uma plataforma em nuvem. A partir de recursos como internet das coisas (IoT), análise de dados (data analytics) e algoritmos, a solução dá aos gestores uma análise online da situação no ambiente de trabalho.

Por isso, qualquer entrave às operações e ao processo de produção é imediatamente identificado, assim como o menor indício de acidente ou outro evento do gênero. “Isso dá ao gestor condições de tomar decisões rápidas e assertivas, baseadas em dados”, sublinha Cerviño.

A participação no Oxygea Labs começou em junho. Ao ingressar no programa, a startup recebe incentivo de R$ 75 mil, para viabilizar sua atuação, pontua a Oxygea. As startups selecionadas integram uma trilha de formação, direcionada à captação de investimento. Isso inclui masterclasses com nomes de referência no ecossistema de inovação brasileiro, como Paulo Costa, do Cubo, Anderson Thees, do Itaú, Lívia Brando, da Vox, e Rodrigo Baer, da Upload.

Mentorias segmentadas e apoio para estruturação de pitch deck (apresentação visual e oral de projeto ou plano de negócios), revisão da estratégia de produto, modelagem financeira e preparação de documentação necessária para futuras rodadas compõem também a capacitação promovida pelo Oxygea Labs, de acordo com o divulgado pelo programa. Ao término, as startups podem se tornar aptas a receber um investimento de R$ 2 milhões cada uma. As outras startups selecionadas são: Carrot, EloVerde, A4 Solutions, Flowls e PixForce.

Mais informações

Sobre a Oxygea:https://oxygea.com/