(Foto de capa: Hayden Stills)

Vivendo o melhor momento da sua carreira,Ludmillaainda colhe os frutos de uma apresentação histórica no palco principal doCoachella. A cantora deu uma entrevista exclusiva ao jornalThe Guardian, um dos mais renomados do mundo, em que contou detalhes da sua performance e refletiu sobre os principais momentos de sua trajetória. Segundo o jornal, Ludmilla“está seguindo o guia para o estrelato pop, com o objetivo de uma carreira internacional.”

Ainda na introdução, Ludmilla é apresentada como a artista negra mais ouvida no Brasil e“uma das únicas mulheres de herança afro-latina a atingir um bilhão de streams no Spotify e fazer um set no palco principal do Coachella”. O The Guardian destaca também sua força no combate ao racismo e à homofobia. Durante a entrevista, ela diz:“Quando comecei como cantora, fui vítima de racismo e sofri em silêncio. Mas agora sei o quanto sou importante e como posso ajudar mulheres como eu”.

Ludmilla comenta sobre a repercussão internacional:“Eu estou muito feliz de ver como o meu trabalho está sendo reconhecido lá fora. Estou construindo uma carreira com bastante trabalho, mas que também me dá muito orgulho. Meu show no Coachella foi histórico e saber que um dos principais jornais do mundo como o The Guardian valoriza isso é muito importante para mim.”