Maria Clara Gueiros, Júlia Rabello e Priscila Castello Branco estão prontas para surpreender o público. Em ‘Agora É que São Elas!’, as atrizes e comediantes extrapolam a questão de gênero e se transformam em vinte personagens, entre femininos e masculinos, como protagonistas de novas esquetes escritas por Fábio Porchat. Esquetes são peças curtas que contam histórias em torno de uma situação específica com começo, meio e fim. O gênero, que fez sucesso nas décadas de 1980 e 1990, é caracterizado por diálogos rápidos e afiados que exigem versatilidade de seus intérpretes. A estreia no último dia 5 fez tanto sucesso que, com o mês de abril totalmente esgotado, a produção decidiu abrir sessões extras aos sábados, às 22h, no Teatro dos Quatro.

Para montar Agora É que São Elas!, Porchat misturou textos recém-criados e outros que, apesar de escritos em 2004 e 2005, revelam conexão com a década de 2020. Na época, Porchat era estudante da CAL (Casa das Artes de Laranjeiras), no Rio, e chegou a encenar alguns deles ao lado do saudoso colega Paulo Gustavo.

Entre as nove histórias, “Números” é uma das mais engraçadas ao mostrar um casal (interpretado por Júlia e Priscila) perdido em meio aos tantos algarismos que memorizam para usar como senhas no dia a dia. Maria Clara e Júlia dividem o palco em “Superstição”, peça que traz o reencontro de duas amigas que não se viam há anos. Uma delas acredita cegamente em todas as crendices e a outra é puro ceticismo. Já Priscila e Maria Clara contracenam em “Selfie”, sobre um fã que aborda uma famosa atriz em um restaurante e, enquanto tenta tirar uma fotografia, começa a listar defeitos na artista que supostamente admira.

Os esquetes manifestam críticas e reflexões sobre sociedade, política e comportamento e são trazidos à cena com humor e talento por esse elenco feminino. São três ótimas atrizes de gerações distintas que despontaram para o público em veículos diferentes. A carioca Maria Clara Gueiros, de 58 anos, é bailarina, estreou no teatro com o espetáculoNa Cola do Sapateado(1987), e ganhou popularidade na televisão com o humorísticoZorra Total,entre 2004 e 2007. Também do Rio, Júlia Rabello, de 42 anos, estourou na internet como destaque do time doPorta dos Fundose participou das novelasA Regra do Jogo(2015) eRock Story(2016). A paulistana Priscila Castello Branco, de 34 anos, por sua vez, fez drama no teatro emCenas de uma Execução(2016) e apareceu nas novelasDeus Salve o Rei(2018) eSalve-se Quem Puder(2020). O seu território, porém, é o stand-up e faz sucesso há dois anos com o soloTô Quase Lá.

Agora é Que São Elas!se compromete com o humor raiz, com o espaço para improvisos, aproximando o público de cada cena. E, como uma das linguagens mais vivas do teatro, a cada dia um mesmo esquete pode ser interpretado de um jeito diferente do dia anterior, como se cada plateia assistisse a um espetáculo exclusivo.

Ficha técnica

Texto e direção: Fábio Porchat

Elenco: Maria Clara Gueiros, Júlia Rabello e Priscila Castello Branco

Cenografia: Mina Quental & Atelier na Glória

Equipe Atelier na Glória: Bernard Heimburger, Alexsander Pereira e Mariana Castro

Cenotécnico: A. Salles Cenografia – André Salles e Marcio Domingues

Figurino: Gilda Midani

Assistente de Figurino: Vanessa Vicente

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Assistente de Luz: Valdeci Correia

Montagem de Luz: Equipe Art Light

Trilha Sonora: Lúcio Mauro Filho

Assistente de Direção: Hernane Cardoso

Visagismo: Diego Nardes

Fotografia: Pino Gomes

Identidade Visual: Vicka Suarez

Marketing: Renato Passos

Assessoria de Imprensa: Fábio Dobbs e Guilherme Scarpa

Assistente de Produção: Alice Porchat

Produção Executiva: Hernane Cardoso

Produção: Pad Rok Produções Culturais – Clarissa Rockenbach e Fernando Padilha

Idealização: Fábio Porchat

Serviço

Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea

Rua Marquês de São Vicente, 52, 2º andar, Gávea, Rio de Janeiro.

De 5 de abril a 14 de julho de 2024.

Sextas, às 20h; sábados, às 20h e às 22h, e domingos, às 19h.

Preço: R$ 140.

Classificação etária: 14 anos.

Duração: 70 minutos.