Atividades culturais gratuitas e presenciais celebram o projeto e uma delas acontece em São Bernardo do Campo

Reunidos no livro “Sucuriju: Histórias que meu Povo conta (Editora Alpharrabio, 2024)”, personagens da cultura amazônida como a Curupira, a cobra Sucuri e a Mãe d’Água protagonizam ensinamentos sobre a importância do respeito à vida e à natureza, além de fazer parte das tradições orais dos povos originários da Amazônia.

O lançamento do livro faz parte do Projeto Sucuriju e foi viabilizado pelo mecanismo de incentivo fiscal ProAC 23/2023, de Produção e Realização de Projeto de Incentivo à Leitura.

O projeto, além do livro, tem uma série de atividades. No dia 14 de junho terá uma apresentação na Biblioteca Machado de Assis, aberta aos estudantes da Escola Pública do Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, onde parte dos alunos vêm de comunidades indígenas.

Ronny vai conduzir uma oficina de escrita no dia 15/06, no Centro Educacional Unificado (CEU) Sapopemba, e apresentar uma live sobre o projeto no dia 21/06 no canal do projeto Sucuriju no YouTube. Ambas as atividades são gratuitas e abertas ao público.

O projeto também contemplará a distribuição de 30 exemplares do livro em Salas de Leitura de Escolas Públicas de Ensino Fundamental I e II, Bibliotecas, Museu das Culturas Indígenas de São Paulo e outros espaços promotores da leitura, instituições e projetos situados no Estado de São Paulo.

O livro

Voltado ao público infanto-juvenil, o livro é ilustrado por André Vazzios e revela as histórias que fazem parte das narrativas contadas pelos povos que vivem às margens dos igarapés do interior do Pará. Para Ronny, o livro se diferencia por apresentar a visão de mundo dos povos locais e aprendizados para enfrentar desafios sociais e ambientais.

A publicação do livro também é uma forma de propor a reflexão às pessoas sobre o impacto da exploração desenfreada da natureza no modo de vida dos povos locais, reforça o autor. “Por muito tempo, a tradição de contar histórias era a única maneira de repassar as culturas, mitos e lendas do oeste do Pará, mas não é só isso. As narrativas fazem uma convocatória para dentro da mata e trazem um olhar para os povos da floresta que insistem em ficar e continuar no solo místico e sagrado dos ancestrais.”

Sobre Ronny Abreu

Ator e dramaturgo, Ronny é formado pela Escola Livre de Teatro (ELT) de Santo André e cursou 5 períodos na Licenciatura de Letras e Artes na Universidade Federal do Pará (UFPA). Como artista paulista e migrante do Estado do Pará, Ronny trabalha com a valorização de sua origem cultural indígena e a contribuição dos povos originários na formação cultural do Brasil.

Atuou em espetáculos como” Nô Caminho – Sete Passos para Dentro” (Formão 6 da ELT), “A queda” (Teatro de Asfalto), “Caixa Casa Mundo: histórias re-veladas ou sobre como vencer os monstros” (Coletiva de Teatro Feminista Pontos de Fiandeiras), “A Festa dos Bárbaros” (Cia São Jorge de Variedades) e “Vozes da Independência” (Dione Carlos).

Serviço – eventos

– Contação de histórias “Sucuriju” e “Jaguaretê Onça Mãe”

Apresentação: Ronny Abreu e Fernanda Henrique

Data e horário: 14/06 (junho) às 9h30

Local: Biblioteca Machado de Assis – Av. Araguaia, 284 (Rio Grande), São Bernardo do Campo – SP

Público: estudantes de escolas públicas da região do Riacho Grande (SBC)

– Oficina de Escrita e Narrativa

Facilitador: Ronny Abreu

Data e horário: 15/06 (junho) às 9h00

Local: CEU EMEF Tatiana Belinky – R. Manuel Quirino de Mattos, S/N (Jardim Sapopemba), São Paulo – SP

Público: livre, participação gratuita

– Live Projeto Sucuriju

Apresentação: Ronny Abreu

Convidados: Juão Nyn e Geonilson Cunha Fonseca

Data e horário: 21/06 (junho) às 19h30

Local: YouTube – Canal Clã do Sucuri (https://youtube.com/@cladosucuri?si=P8D8hnSctBglPuTl) e Instagram @CLADOSUCURI

Vídeo explicativo do projeto: https://youtu.be/Z44NHvIQKaw

Público: livre, participação gratuita